top of page

Páscoa: o que é, qual a sua importância e origens |Mensagem


MENSAGEM DE PÁSCOA

Que haja muitos doces em sua vida nesta Páscoa: os doces sorrisos daqueles que te amam e a doce esperança de um futuro de paz e prosperidade. Feliz Páscoa!




Páscoa: o que é, qual a sua importância e origens

A Páscoa é uma comemoração importante na tradição cristã, mas esta festa tem suas raízes na tradição judaica e foi influenciada pelos povos pagãos ao longo da história.



A Páscoa é um dos feriados mais importantes do calendário cristão. Este dia memorial se originou com os judeus e seu significado foi redefinido após a crucificação de Cristo. Algumas Páscoas modernas também contêm elementos herdados de nações pagãs. A Páscoa é uma celebração comovente, e seu significado mais familiar - cristão - nos lembra a crucificação e ressurreição de Cristo. A palavra "Páscoa" em português vem de três idiomas: "Pessach" em hebraico, "Pascha" em latim e "Paskha" em grego.




Páscoa Judaica

A Páscoa judaica é completamente diferente do suposto feriado cristão. A Páscoa judaica é chamada de "Pesach" (hebraico para "Páscoa") e celebra a libertação do povo hebreu da escravidão no Egito. Este feriado judaico era tradicionalmente comemorado na época em que a primavera começa no hemisfério norte.

A implementação desta festa na tradição judaica foi baseada no comando explícito de Javé a Moisés, que o transmitiu aos hebreus. A descrição de como deve ser feita a celebração, e todo o seu contexto, encontra-se em Êxodo 12 |1| passagem bíblica. Em todo caso, esta celebração comemora a passagem do anjo da morte pelo Egito durante a décima praga, responsável pela destruição de todos os primogênitos do país.



Páscoa Cristã

Apesar de ser derivada de um feriado judaico, a Páscoa cristã tem um significado diferente porque celebra a crucificação, morte e ressurreição de Cristo. A ressurreição de Cristo é até um dos fundamentos da fé cristã, e é por isso que a Páscoa é um feriado tão importante para os cristãos.

Na tradição cristã, Cristo é visto como o Cordeiro de Deus enviado como sacrifício para salvar a humanidade de seus pecados. Após a crucificação e morte de Cristo, ele ressuscitou após três dias. Todos esses eventos ocorreram durante a Páscoa judaica (celebrada por sete dias), criando um paralelo entre os dois feriados. Na consagração da Igreja Católica Romana, a Páscoa marca o fim da Quaresma, que é marcada pelo jejum e durante a qual muitos fazem promessas. A última semana desse período é conhecida como Semana Santa e começa com o Domingo de Ramos, celebrando a entrada triunfal de Cristo em Jerusalém.

Os últimos dias da Semana Santa são a Última Ceia celebrada na Quinta-feira Santa; A crucificação e morte de Cristo ocorreram na Sexta-feira Santa e a ressurreição de Cristo no Domingo de Páscoa.

A Páscoa, como todos sabem, é uma data em movimento e pode ocorrer entre os dias 22 de março e 25 de abril. O dia a ser deslocado para celebrar a designação da Páscoa foi decidido pela própria igreja no Concílio de Nicéia, ocorrido em 325 DC. Declarava que a Páscoa é celebrada no primeiro domingo após a lua cheia do equinócio da primavera (no Hemisfério Norte).




Além da tradição judaica e cristã, a Páscoa de hoje acrescentou elementos de outras culturas não cristãs, ou seja, pagão. Esse processo ocorreu principalmente após a cristianização dos povos germânicos da Europa. Os historiadores argumentam que, durante esse processo, o cristianismo adotou alguns elementos das culturas daqueles povos.

No caso da Páscoa, alguns historiadores associam esta celebração do norte da Europa ao culto da deusa germânica Eostern, bem como de Ostara. Os termos alemães e ingleses para a Páscoa provavelmente se originaram desse culto. Na Alemanha, o termo para a Páscoa é Ostern (uma reminiscência de Ostar); em inglês, Easter é Easter (é semelhante ao termo Eostern).

Alguns historiadores relatam que os povos germânicos realizavam festas em homenagem à deusa Eostern por volta do equinócio da primavera, próximo à Páscoa cristã, traçando um paralelo entre as festas observadas naquelas partes do hemisfério norte.

Outros símbolos modernos tradicionais da Páscoa - o coelho e os ovos - também estão ligados a influências pagãs. Acredita-se que coelhos e ovos eram símbolos tradicionais da fertilidade de vários povos, e quando esses povos foram batizados, esses símbolos foram incorporados à celebração cristã.




 




CURSO DE MARKETING DIGITAL









CURSO DE MARKETING PESSOAL








LIVROS DIGITAIS









COMPRE EM NOSSA LOJA | PARCEIRO

MAGALU|

MAGAZINE LUIZA & MAGAZINE X GERAL

" Tem na minha Loja, o produto que você procura!"





ANUNCIE AQUI | PROMOÇÃO 50%





32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page